Drama Deslembro tem pré-estreia no Cine Metrópolis

O filme brasileiro Deslembro é a pré-estreia da semana do Cine Metrópolis (campus de Goiabeiras), entrando na programação ao lado de Divino Amor e Eu não sou uma Bruxa, que estão em cartaz desde a última semana. Os longas serão exibidos entre os dias 4 e 10 de julho em vários dias e horários.

Os ingressos para os filmes podem ser adquiridos na bilheteria do cinema por R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), e estudantes da Ufes têm entrada gratuita.

Confira a programação completa.
 

Deslembro (14 anos)

Primeiro longa de ficção da diretora Flávia Castro, esse drama nacional narra as descobertas da adolescente franco-brasileira Jorna, que, completamente adaptada à vida francesa, é obrigada a retornar ao Rio de Janeiro no período pós-ditadura.

Joana pertence a uma família exilada em Paris após seu pai ter desaparecido nos porões do Departamento de Ordem Política e Social (Dops) e o corpo sequer ter sido encontrado. Quando a Lei da Anistia é decretada no Brasil, em 1979, a menina retorna à sua terra natal e, aos poucos, as memórias amargas de tempos difíceis vêm à tona, causando desconforto.

Deslembro traz em seu elenco atores como Jesuíta Barbosa, Jeanne Boudier, Sara Antunes e Eliane Giardini, ganhadora do prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante no Festival do Rio.

Sessão: sábado, 6, às 16h10.

 

Divino Amor (18 anos)

Coproduzido por Brasil, Uruguai, Chile e Dinamarca, esse drama viaja até o Brasil de 2027 e mostra um país que se tornou uma teocracia evangélica. Joana, muito religiosa, é membro da seita Divino Amor. Escrivã de cartório, ela usa sua posição no trabalho para tentar salvar casais que chegam para se divorciar.

Enquanto espera por um sinal em reconhecimento pelos seus esforços, ela é confrontada com uma crise no seu próprio casamento, que termina por deixá-la ainda mais perto de Deus.

Com direção do pernambucano Gabriel Mascaro, Divino Amor traz em seu elenco nomes como Dira Paes, Emílio de Melo, Julio Machado, Thalita Carauta, Mariana Nunes, Teca Pereira e Tuna Duek.

Após a sessão, haverá debate com as participações do professor João Porto e da cineasta Saskia Sá.

Sessões: quinta-feira, 4, às 16h e às 20h; sexta-feira, 5, às 16h e às 20h; sábado, 6, às 18h; domingo, 7, às 18h; segunda-feira, 8, às 16h e às 20h; terça-feira, 9, às 16h e às 20h; quarta-feira, 10, às 16h e às 20h.

 

Eu não sou uma Bruxa (12 anos)

Dirigido por Rungano Nyoni, esse drama retrata a caça às bruxas na África. Depois de um incidente banal em sua aldeia local, Shula (Maggie Mulubwa), de oito anos, é acusada de feitiçaria. Após um julgamento em que é considerada culpada, ela é levada até a guarda do Estado e exilada para um campo de bruxas no meio de um deserto.

Lá, ela participa de uma cerimônia de iniciação na qual aprende as regras em torno de sua nova vida como bruxa. Como os outros residentes, Shula é amarrada a um carretel com uma fita, sendo ameaçada de ser amaldiçoada e de se transformar em uma cabra caso corte a fita.

Eu não sou uma Bruxa venceu o prêmio Bafta de Melhor Filme Revelação e é o representante do Reino Unido no Oscar 2019 na categoria Melhor Filme Estrangeiro.

Sessões: quinta-feira, 4, às 14h e às 18h20; sexta-feira, 5, às 14h e às 18h20; sábado, 6, às 16h10; domingo, 7, às 16h10; segunda-feira, 8, às 14h e às 18h20; terça-feira, 9, às 14h e às 18h20; quarta-feira, 10, às 14h e às 18h20.

 

Texto: Adriana Damasceno
Edição: Thereza Marinho

 

Categoria: 
Destaque
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.