Inscrições abertas para o FameLab, competição de comunicação científica

Estão abertas as inscrições para a 4ª edição brasileira do maior concurso de comunicação científica do mundo, o FameLab. A competição, que tem edições nacionais em 32 países, tem o intuito de treinar cientistas para transmitirem conteúdo científico de forma mais objetiva e acessível ao público em geral e à mídia. O prazo para o envio de trabalhos vai até 31 de janeiro de 2020 e o vencedor nacional participará de uma final mundial.

Os pesquisadores das áreas de Ciências da Vida ou Exatas, Tecnologias e Engenharias deverão enviar dois vídeos de, no máximo, três minutos cada, com versões em português e em inglês. O vídeo precisa apresentar um conceito científico e não pode fazer uso de slides, equipamentos eletrônicos ou ferramentas de edição.

Até 30 trabalhos podem ser escolhidos para a etapa semifinal, que será anunciada em 3 de abril de 2020. Os eventos nacionais – incluindo a formação para a comunicação científica, a semifinal e a final – acontecerão entre 4 e 8 de maio, em São Paulo. O vencedor brasileiro representará o país na final internacional, no Reino Unido, em junho. 

As candidaturas devem ser apresentadas no site do British Council, que organiza a competição.

Os jurados avaliam as apresentações orais considerando os critérios dos 3Cs (carisma, conteúdo e clareza). Sem a ajuda de slides, os candidatos precisam envolver não apenas os cientistas, que já possuem conhecimento técnico e específico sobre a área, mas também o público em geral, abordando em sua temática alguma ligação, impacto ou relevância no cotidiano social. 

Capixaba

O único capixaba finalista do FameLab Brasil, desde a primeira edição do evento, foi o professor do Departamento de Patologia da Ufes Breno Salgado. Com o tema Você sabia que raramente os elefantes desenvolvem câncer?, Salgado mostrou a importância de conhecer a doença nos animais para entender seu desenvolvimento nos seres humanos (saiba mais acessando aqui).

O professor da Ufes chegou à final da 3ª edição, em 2018, e conta que participar do concurso foi uma experiência muito rica. “O FameLab explora uma condição de trabalho muito falha dentro das universidades: a comunicação científica”, afirma Salgado. Segundo ele, existe uma tendência de os pesquisadores dificultarem a linguagem, utilizando jargões técnicos de suas áreas. “A ciência é universal e o objetivo dessa competição é desenvolver uma comunicação eficiente e acessível para os seus participantes”, explica.

Serviço

Podem participar brasileiros ou estrangeiros com idade mínima de 21 anos, fluentes em português e em inglês, que residam no Brasil e que tenham mestrado, doutorado, pós-doutorado ou livre-docência (em andamento ou concluído) nas áreas de Ciências da Vida ou Exatas, Tecnologias e Engenharias. Os estudos devem ter sido realizados em uma instituição de ensino superior brasileira reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Para a etapa nacional da competição, a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) informou que poderá arcar com custos relativos à viagem de até dois de seus bolsistas para participar das etapas semifinal e final, caso sejam classificados. Já para a etapa internacional, as despesas de transporte, hospedagem, alimentação e entradas serão custeadas pelo Conselho Britânico.

No Brasil, o FameLab conta com as parcerias do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações por intermédio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (MCTIC/CNPq), do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). 

Clique aqui e acesse o edital FameLab Brasil 2020.

 

Texto: Anderson Barollo (estudante de Comunicação)
Edição: Lidia Neves e Thereza Marinho

Categoria: 
Destaque
Edital
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.