Projeto Ensino de Ciências em Rede é apresentado a representantes de 15 municípios

O projeto Ensino de Ciências em Rede: pensar e fazer na escola, que tem por objetivo a criação da Rede de Ensino de Ciência no Espírito Santo, foi apresentado nesta segunda-feira, 16, aos representantes das secretarias municipais que serão beneficiadas pela iniciativa.  O objetivo do projeto é integrar as escolas visando à qualificação dos professores da rede básica para o ensino das ciências da natureza de forma inovadora, criativa e interdisciplinar. A execução do projeto está prevista para iniciar no final do primeiro semestre do próximo ano. 

A Ufes é a entidade executora do projeto, aprovado em edital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). São entidades participantes do projeto em parceria com a Universidade o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), o Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA), a Secretaria de Educação do Estado (Sedu) e secretarias de quinze municípios: Alegre, Alfredo Chaves, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Conceição da Barra, Fundão, Guaçuí, Jaguaré, Jerônimo Monteiro, Santa Teresa, Santa Maria de Jetibá, São Mateus, Serra, Vila Velha e Vitória.

Serão destinados R$ 3,5 milhões para as ações, que preveem 80 cursos nas áreas de Química, Física e Biologia para atender a 960 professores do sexto a nono ano do ensino fundamental. Os cursos serão ministrados por docentes de mestrado da Ufes e do Ifes. As escolas também receberão materiais para experimentos práticos com os alunos em sala de aula.

Outra ação do projeto é a popularização da Ciência, com visitas científicas de professores e estudantes da educação básica a laboratórios de pesquisa da Ufes e do Ifes; ao Museu de Ciências, ao Planetário e ao Observatório; e também a mostras científicas. 

O terceiro pilar é o desenvolvimento de um Núcleo de Inovação e Tecnologia, que vai abordar novas tecnologias educacionais, métodos de ensino e cursos online, entre outros itens. 

Apresentação

A apresentação do projeto foi realizada pela professora do Departamento de Ciências Biológicas da Ufes e coordenadora do projeto, Viviana Corte. Ela compõe o Conselho Executivo juntamente com os professores Paulo Rogerio Moura e Giuseppi Camiletti, dos departamentos de Química e de Física, respectivamente.

“Muitas ações vêm sendo desenvolvidas na Ufes na área de formação de professores. Entretanto, muitas delas ocorrem de forma isolada e independente. Nesse movimento, unimos os departamentos de Ciências Biológicas, Química e Física. Entendemos que a integração pode promover a tão necessária interdisciplinaridade”, afirma Viviana Corte. 

A vice-reitora da Ufes, Ethel Maciel, destacou a importância da parceria estabelecida com as demais instituições na formação da rede de ensino de ciências. “Vamos potencializar a educação em nosso Estado”. 

Para a pró-reitora de Extensão da Ufes, Tânia Delboni, esse projeto significa o compartilhamento de saberes. “É a Ufes cumprindo seu papel social. Vamos levar o conhecimento da Universidade e vamos aprender com a escola de educação básica”, disse. 

Já o pró-reitor de Extensão do Ifes, Renato Tannure, ressaltou que esse é um momento especial para as duas instituições federais do Espírito Santo, que estão cumprindo sua função social: “Somos catalisadores nesse processo de formação”. 

A gerente de Qualificação Profissional da Secretaria de Estado da Educação, Ana Janete Viana, defende que a rede estadual precisa dessa parceria com a rede federal para que os professores “possam compartilhar informações e adquirir maior conhecimento vindo da academia”. 

As representações municipais ressaltaram a importância do projeto, especialmente devido à implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que entrará em vigor em 2020. Érika Souza, técnica da Gerência de Formação da Secretaria de Educação de Serra, disse que a criação da rede veio em boa hora. “A BNCC propõe um currículo em espiral, ou seja, Química e Física, que eram matérias dadas no nono ano, passam a ser disciplinas aplicadas desde o sexto, sendo aprofundadas ano a ano. Isso tem um impacto em sala de aula, pois o professor não foi preparado para isso. Então esse projeto veio em boa hora. O ensino da Ciência em investigação também precisa ser agregado ao cotidiano desses meninos e meninas”, afirma, dando como exemplo a discussão dos problemas relacionados ao abastecimento de água quando se estuda o ciclo da água. 

“Esse projeto vai acrescentar muito para nossas escolas, alcançando conteúdos que os professores não tiveram na sua formação inicial, e que agora serão cobrados com a BNCC. E trabalhar em rede, tendo a Ufes como parceira, é muito importante. Vamos querer muitas vagas nos cursos”, garante a gerente pedagógica de Ensino da Secretaria de Educação de Cachoeiro de Itapemirim, Valéria Grafanassi.

Na foto, a gerente de Qualificação Profissional da Secretaria de Estado da Educação, Ana Janete Viana; o pró-reitor de Extensão do Ifes, Renato Tannure; a vice-reitora da Ufes, Ethel Maciel; a professora do Departamento de Ciências Biológicas da Ufes e coordenadora do projeto, Viviana Corte; e a pró-reitora de Extensão da Ufes, Tânia Delboni.

 

Texto e foto: Sueli de Freitas
Edição: Thereza Marinho

 

Categoria: 
Destaque
Evento
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.